Futebol Semi Profissional de São Paulo

Futebol Semi Profissional

Porque esse esporte está ficando conhecido como Futebol Semi Profissional?

O futebol amador chegou aqui no Brasil em 1894 por Charles Miller, lá da Inglaterra.

Mas, calma, esse cara não foi o que trouxe o futebol profissional? Sim e não.

Futebol Semi Profissional de São Paulo

Sim, ele trouxe o futebol que um dia iria se tornar profissional.

Não, porquê naquela época o futebol estava longe de ser profissional.

Mas por que depois que o futebol foi profissionalizado, o amador continuou existindo?

É simples, o futebol profissional no começo, era para brancos e depois, se tornou para os jogadores que tinham mais habilidades e condicionamento físico e permanece assim até hoje. Mas todos nós sabemos que o futebol é o esporte preferido do Brasileiro, não só para assistir, mas também para jogar.

No entanto, poucos conseguem atingir o nível de habilidade e condicionamento físico para se tornar profissional, mas os jogadores que não conseguem, também não querem só ficar jogando pelada (podemos dizer que é uma categoria abaixo do amador) e organizaram o futebol amador, um futebol sem muitos patrocínios, nem muito paramêtro para o condicionamento físico ideal, mas que ainda assim, é um futebol muito organizado e de acordo com as regras do futebol profissional.

Mas a principal pergunta é: Por que o futebol amador de São Paulo está sendo considerado Futebol Semi Profissional?

Para começar, é importante que você saiba que, hoje, o futebol amador de São Paulo tem o maior e mais organizado campeonato amador do Brasil, é o futebol que possui mais patrocinadores e ainda possui apoio da FPF (Federação Paulista de Futebol).

Além disso, o futebol amador de São Paulo engloba vários campeonatos, além dos campeonatos regionais, existem dois que são mais famosos e abrangem times de diversas regiões, veja:

– Copa Cecap

– Liga Paulistana de Futebol

Até 2015, o maior campeonato de futebol amador de São Paulo era a Copa Kaiser, mas por razões estratégicas, a empresa decidiu rescindir o contrato e acabar com a parceria com o futebol paulista.

Para poder responder a sua pergunta, vou colocar um pequeno grande valor:

Em 2015, o Vasco do Paraíso, da cidade de Guarulhos em São Paulo, gastou cerca de R$50.000,00 para conseguir vencer o campeonato amador do estado. Parece pouco, mas para uma liga que era para ser amadora e barata, foi um grande investimento do Vasco do Paraíso.

Futebol Semi Profissional

E, depois disso, eu coloco mais um dado para você: A grande empresa Heineken patrocinou, durante 17 anos, a Copa Kaiser (a Heineken é dona da cervejaria) e essa se tornou a maior copa do Brasil. É ou não é um dado curioso para um futebol taxado como amador?

O fato é que o futebol amador paulista está ficando tão organizado, que passou a ser considerado como Futebol Semi Profissional. A maioria dos clubes possuem campos e não precisam dividir, são campos, na maioria das vezes, regulamentados, os famosos campos de várzea e é neles que os principais campeonatos são disputados.

Para diferenciar, podemos dizer que o Futebol Semi Profissional está mais perto do profissional e o amador está mais perto da pelada.

Podemos dizer também que no nível amador, o amor a camisa ainda está muito presente e muitos jogadores jogam sem receber nada e as vezes até pagam para jogar. No nível do futebol semi profissional não, os jogadores recebem e muitos recebem mais até do que um jogador profissional que está na série A3 ou no Campeonato, amazonense, por exemplo, o salário pode variar entre 200 por mês até 500 por jogo, mais o bônus por gol feito, quando o cara é estrela.

Às vezes, para fechar o contrato com um jogador craque, os clubes acabam de pagar as parcelas de um apartamento ou dão um carro para a fera, e não é carro ruim não.

Isso é tão real, que existem jogadores que desistem da carreira profissional para poder jogar na liga de Futebol Semi Profissional de São Paulo.

Saiba Mais sobre Futebol Amador

1 comentário em “Futebol Semi Profissional”

  1. Charles De Lucca Gasperin

    Em Santa Catarina tem isso também (acho que no Brasil todo). A ligas de futebol amador que organizam campeonatos onde as equipes pagam aos jogadores para eles jogarem. A maioria das ligas tem time que representam a sua cidade, por causa disso enfrentam outras cidades com suas equipes que as representam, mas também a outros torneios a níveis municipais, onde a condição dos atletas variam muito de semi profissional a “muito amador”. A CBF poderia criar varias divisões para que essas equipes entrem no nível profissional nem que seria como acontece na Inglaterra.

Deixe um comentário